Primeiro trimestre de Gestação.

Quando eu ouvia:

-Nenhuma gestação é igual.

Eu tive plena certeza rs, já contei dos enjoos, mas nessa gestação eu estou mais medrosa.

Não sei explicar ao certo, mas acho que a quantidade de informação nos deixa mais apreensivos. O primeiro trimestre de gestação vai da 1ª até a 12ª semana de gravidez e durante esse período o corpo vai se adaptando às sucessivas mudanças que durarão, aproximadamente, 40 semanas, até o nascimento do bebê.

Alguns exames na primeira consulta do pré-natal.

Os exames de sangue que devem ser feitos no 1º trimestre de gravidez são:

  • Hemograma completo: Serve para verificar se há alguma infecção ou anemia.
  • Tipo sanguíneo e fator Rh: Importante quando o fator Rh dos pais é diferente, quando um é positivo e outro é negativo.
  • VDRL: Serve para verificar se há sífilis, uma doença sexualmente transmissível, que se não for devidamente tratada, pode levar a malformação do bebê ou aborto espontâneo.
  • HIV: Serve para identificar o vírus HIV que provoca a AIDS. Se a mãe for devidamente tratada, as chances do bebê se contaminar são baixas.
  • Hepatite B e C: Serve para diagnosticar as hepatites B e C. Se a mãe receber o devido tratamento, evita que o bebê seja contaminado com estes vírus.
  • Tireóide: Serve para avaliar o funcionamento da tireoide, os níveis de TSH, T3 e T4, pois o hipertireoidismo pode levar ao aborto espontâneo.
  • Glicose: Serve para diagnosticar ou acompanhar o tratamento da diabetes gestacional.
  • Toxoplasmose: Serve para verificar se a mãe já teve contato com o protozoário Toxoplasma gondi, o qual pode causar malformação no bebê. Caso não seja imune, ela deverá receber orientações para evitar a contaminação.
  • Rubéola: Serve para diagnosticar se a mãe possui rubéola, pois esta doença pode provocar malformação nos olhos, coração ou cérebro do bebê e também aumenta o risco de aborto espontâneo e de parto prematuro.
  • Citomegalovírus ou CMV: Serve para diagnosticar a infecção pelo citomegalovírus, que quando não é devidamente tratada pode causar restrição de crescimento, microcefalia, icterícia ou surdez congênita no bebê.

Esses são super “de boa”, mas uma ultrassom específica me deixou apreensiva, a ultrassom realizado com 11 semanas de gestação, nela é possível fazer a medida da translucência nucal, que é uma medida tirada no ultrassom morfológico do primeiro trimestre, um exame de rotina que tem como principal objetivo ajudar a detectar o risco de síndrome de Down e outras anomalias cromossômicas, além de problemas cardíacos. O objetivo principal da translucência nucal é medir um espaço específico na nuca do bebê, entre 11 e 14 semanas de gravidez. A partir de 14 semanas, não dá mais para fazer o exame, porque o espaço deixa de ser transparente na imagem do ultrassom. Mamães temos que nos atentar e fazer tudinho que nossos GOs pedem, as datas são primordiais.

Bebês que tenham alguma anomalia tendem a acumular mais líquido nessa região da nuca, por isso uma medida acima da média normal é considerada um possível indicador de algum problema. Durante o mesmo exame, também se verifica a presença do osso nasal. A ausência desse osso pode ser mais um indicador de anormalidade.
Às vezes, o resultado da medida da translucência nucal é combinado com o resultado de um exame de sangue feito na mãe, gerando uma avaliação do risco da presença de alguma síndrome cromossômica. Esse exame de sangue é útil porque diminui o grande número de falsos positivos que só a medida pelo ultrassom apresenta.
Com base no resultado da translucência nucal, na presença ou não do osso nasal e na idade da mãe, o médico pode sugerir a realização de algum outro exame, como o diagnóstico pré-natal não-invasivo (feito pelo exame de sangue)biópsia do vilo corial ou a amniocentese, a fim de confirmar ou descartar uma eventual suspeita.
Se você fizer o exame o quanto antes, próximo das 11 semanas, terá mais tempo de fazer uma biópsia do vilo corial (que pode ser feita até 13 semanas) para ter uma resposta definitiva, em caso de suspeita de anormalidade.
Por outro lado, em termos médicos, 12 semanas completas é o momento ideal para o exame. O exame de marcadores bioquímicos no sangue, que deixa o resultado da translucência nucal mais preciso, também é realizado com 12 semanas. E mamães NADA de ficar no tio google.

E lá ficamos alguns instantes (quase uma eternidade, rs) e ouvimos:

Tudo normal.

Meu medo era algum probleminha cardíaco, aflição boba né? Mas graças a deus coração OK rs.

Muitas pessoas ainda não sabiam da gestação, e agora só faltava 02 semanas para contarmos para todo mundo, e fazer aquela foto com textão no Insta, rs.

 

 

Facebook Comments