Lápis ou Caneta?

Não entendi a pergunta Rafa.

Calma, que vou te explicar…
SIM, em plena era digital o lápis ainda é um queridinho tanto nos estudo, quanto nos escritórios, na prática os lápis são ajudantes úteis que permanecem conosco ao longo de nossas vidas profissionais e particulares.  Eu mesma viciada em papelaria tenho pouquíssimas canetas esferográficas e vários lápis rs.
Em uma pesquisa de mercado realizada em nome da STAEDTLER – uma das empresas industriais mais antigas da Alemanha e que faz parte da grande tradição dos fabricantes de lápis de Nuremberg desde 1835 – pelo instituto de pesquisa de mercado INNOFACT, notou-se que mais de 94% dos participantes disseram que ainda usam lápis enquanto 62% disseram que os usam regularmente ou com muita frequência.

Uma curiosidade: Quando se trata de faixa etária, as pessoas mais jovens (18 a 34 anos) usam o lápis com mais frequência do que as pessoas mais velhas (50 a 69 anos) e as pessoas com nível superior de educação usam o lápis mais do que aquelas com nível inferior.

– Corrige rapidamente pequenos erros.

O melhor dos lápis para 80% dos entrevistados é que ao mudar de ideia ao escrever ou realizar registros – no papel ou em outra superfície – é possível apagá-los com uma borracha. Isso também explica porque a ferramenta é a primeira escolha quando se trata de registrar anotações que provavelmente precisarão ser corrigidas, por exemplo: em diários, palavras cruzadas e quebra-cabeças. Outros benefícios apontados por uma grande margem de entrevistados incluem a agradável sensação de escrever com um lápis (12,4% dos participantes). Já 7% dos alemães preferem o lápis por conta da adequação do recurso ao desenho enquanto que 5,7% prefere o item devido a sua espessura variável. Por fim, 4% tende a utilizar o lápis por causa da longa vida útil.

Mas e o chumbo?

Tudo MITO! Ainda hoje prevalece o mito de que o lápis contém chumbo. Quase 6% dos participantes da pesquisa que não usam o lápis disseram estar preocupados com as substâncias que a ferramenta contém (como chumbo). Mas, embora falemos de “lead pencils” (lápis de chumbo em inglês), as minas na verdade consistem em grafite e argila. O chumbo não faz parte dessa composição. O grafite foi descoberto em meados do século XVI onde as pessoas pensavam que era um mineral de chumbo devido à sua aparência. Este grupo chamou a substância de “plumbago” ou “chumbo preto” por causa de sua superfície prateada brilhante. Somente em 1789 o químico sueco Carl Wilhelm Scheele provou que esse “chumbo preto” era na verdade grafite. Mesmo assim, ainda falamos sobre “lead pencils”.
.
Sobre a pesquisa
Em março de 2020, 1.015 alemães entre 18 e 69 anos foram entrevistados em nome da STAEDTLER pelos especialistas em pesquisa de mercado da INNOFACT. O foco do estudo foi o uso de várias ferramentas de escrita.
E você é team lápis ou caneta?
Agora você entendeu a pergunta né?
Facebook Comments