Aceita um café?

Ahhh se a Dona Florinda soubesse como o bordão dela é usado, rs.

Café, o líquido usado para reuniões informais, reunião formais, pra “respirar” durante o trabalho, para “acordar” durante o expediente.

O caso de amor do café com o mundo provavelmente nunca diminuirá. Famoso por seu sabor apaixonante, a ilustre bebida possui compostos que aliviam a fadiga, aceleram o metabolismo e ainda combatem os radicais livres.

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC), esta é a segunda bebida mais consumida no Brasil, perdendo apenas para água.

Vício para uns, prazer para outros, a verdade é que poucos resistem à um cafezinho. Mas se você é daqueles que toma várias xícaras ao dia, saiba que existe uma quantidade máxima de cafeína que pode ser consumida com segurança. Uma nova revisão de estudos sobre o assunto confirmou que 400 miligramas diários, o correspondente a três xícaras de 150 ml da bebida, é o limite para adultos saudáveis. Para mulheres grávidas, essa quantidade cai para 300 miligramas ao dia.

Segundo a nutricionista Adriana Stavro, apesar de 400 miligramas diários serem considerados seguros para a saúde, não significa que podemos tomar. Nem todos metabolizamos a cafeína da mesma maneira. Para algumas pessoas, uma pequena xícara de café é o suficiente para deixá-las agitados. Ouça o seu corpo, e se ficar inquieto, diminua a quantidade da bebida ou substitua por um chá ou outra bebida sem cafeína

Além do efeito excitante, a bebida também é muito associada à perda de sono. Uma pesquisa feita pela Universidade Wayne State, no estado de Michigan, nos Estados Unidos, constatou que o consumo moderado de cafeína pode sim reduzir o período de sono, por isso evite tomar café após as 17:00h.

Para a nutricionista outro cuidado importante é com pessoas ansiosas. A cafeína é um estimulante do sistema nervoso central. Como consequência, o coração e a respiração aceleram os próprios ritmos e a pressão arterial aumenta. No entanto, tudo isso começa a ser um problema quando há exageros. O excesso de cafeína pode ter efeitos colaterais como: nervosismo, tremores, dor de cabeça, insônia, agitação mental, taquicardia, suor frio e uma sensação de angústia e ansiedade.

Os principais benefícios do café são:
Aumenta a concentração: o consumo do café contribui para melhorar o rendimento cognitivo pela presença da cafeína. Além disso, o café aumenta o estado de atenção aumentas energia e diminui o cansaço.

É fonte de minerais: zinco, potássio e ferro estão presentes no café e são essenciais para o bom funcionamento do organismo.

Acelera o metabolismo: a bebida funciona como um ativador natural, por isso, acelera o metabolismo e a lipólise, contribuindo para a queima de gorduras.

Previne Alzheimer: a cafeína e outros compostos com ação antioxidante exercem papel neuro protetor contra a doença, pois colaboram para reduzir o estresse oxidativo ao neutralizarem a ação dos radicais livres.

Diminui o risco de diabetes mellitus tipo II: alguns estudos apontam que o consumo de café pode ser benéfico na prevenção desta doença, já que a bebida pode aumentar o nível de adiponectina, um hormônio ligado à redução da resistência insulínica.

Previne a bronquite: a cafeína está ligada à teofilina, uma substância que ajuda a relaxar os músculos e auxilia no combate às infecções pulmonares.

Diminui o risco de depressão: Segundo pesquisadores da Harvard School of Public Health, este efeito antidepressivo natural é resultante do estímulo que a cafeína causa no sistema nervoso central, capaz de aumentar a produção dos neurotransmissores cerebrais como a noradrenalina, dopamina e serotonina (hormônios responsáveis pela sensação de bem-estar).

Diminui o risco de doença cardíaca: Uma pesquisa realizada com 140 mil pessoas pela Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard (EUA) mostrou que quatro doses diárias do café diminuem em até 11% o risco de insuficiência cardíaca, que é uma condição em que o coração não consegue bombear o sangue adequadamente para o corpo

A Adriana Stavro Formada em Nutrição pelo Centro Universitário São Camilo. Pós-graduada em Doenças Crônicas não Transmissíveis pelo Hospital Albert Einstein. Pós graduanda em Nutrição Clinica Funcional pela VP consultoria, pós graduanda em Fitoterapia pela Course4U.

Especialidades:
• Saúde, bem estar e emagrecimento;
• Nutrição funcional;
• Doenças Crônicas;
• Regulação do estresse e do sono;
• Nutrição para gestantes;
• Acompanhamento pré e pós cirurgia bariátrica;
• Alergias alimentares;
• Nutrição vegetariana e vegana;
• Nutrição para prática de atividade física;
• Protocolo Detox;

Vamos entrar e tomar uma xícara?

Aquela frase que a Dona Florinda sempre falava e a gente só repetia né?

Mas se você é do time: a xícara é minha e nela tomo o que eu quiser, pera que  vamos conversar sobre isso, rs.

Você sabia que existe um tipo de xícara adequado para cada ocasião e que você também pode utilizar seu conjunto de xícaras para destacar a decoração da cozinha ou da mesa? Eu utilizei as minhas como destaque na prateleira que dividi a sala de jantar com a de estar.
Como moramos no litoral, minhas xícaras são bem Praieiras e lembram escamas de sereia na minha visão, na do filho e marido peixe rs.

Mas afinal Rafa, explica direito essa história de que tem xícara pra tudo.

Seja para uso no café da manhã ou em ocasiões especiais, há um tipo de xícara adequado para cada ocasião, e considerar as características dos materiais é um aspecto de fundamental importância para a escolha de um conjunto de xícara e pires que atenda às nossas necessidades, já eu comprava pela buniteza.

Xícara de vidro: O vidro é um dos materiais mais comumente utilizados para fabricação de louças como conjuntos de xícara e pires para uso constante. O material funciona como um excelente retentor de temperatura.

Xícara de porcelana: O conjunto de xícaras e pires feitos de porcelana é ideal para manter a bebida aquecida por mais tempo, pois conserva bem o calor. A flexibilidade do material permite que ele seja trabalhado através de inúmeras técnicas de gravação e pintura. Delicadas e elegantes, as xícaras de porcelana estão disponíveis em uma imensa variedade de estilos e são uma escolha adequada para uso em ocasiões especiais.

Xícara de cerâmica: A cerâmica é um material mais resistente e de textura mais acentuada que a porcelana. Um conjunto de xícara e pires de cerâmica é uma ótima opção de design para louças de uso diário.

Xícara de plástico: Colorido, leve e resistente, esse tipo de produto é uma excelente alternativa de utensílio para uso infantil. O plástico utilizado para fabricar esse tipo de recipiente é especialmente projetado para reter o calor e conservar a temperatura da bebida.

Sabe quando a gente quebra uma xícara de um jogo, ai quebra de outro e quando vamos ver não temos um conjunto completo? Se elas tiverem cores e ou desenhos que se conversem, fica super bacana misturar, mas se você não quer ousar, que tal usa-las na decoração?

foto: pinterest

 

Agora aquela regrinha dos bons costumes: o recomendado é encher a xícara até um pouco a mais que a metade.

 

Agora me diz, você é do time café ou chá?