Amamentação sem filtro – parte 1.

Aiii eu AMO amamentar,o Rico amamentei até 1 ano e 3 meses e o Felipinho estamos há 1 ano e 2 meses e olha que tivemos tudo:
– fissuras mamárias;
– mordidas;
– mastite, mas isso fica para outra parte do Post.

Não foi fácil, mas é e esta sendo gratificante.

Mas será que existe certo ou errado? só se for na pega do bebê.

A pega correta:

foto: Photo Dreams – Luciana

A posição certa está diretamente ligada ao sucesso da amamentação e alguns sinais revelam se a pega foi feita de maneira correta:

-O bebê abre bem a boca e abocanha quase toda a aréola;

-A boca do bebê se mantém bem aberta e acoplada ao seio e seu queixo se encosta na parte inferior da mama;

-A aréola fica mais visível acima da boca do bebê do que abaixo;

-O bebê suga, respira e engole o leite de forma natural e coordenada, com sucções lentas e profundas. Suas bochechas ficam arredondadas.

Orientações:

foto: Photo Dreams – Luciana

Os dedos não devem pinçar o seio, como na foto nem tocar a aréola. Não é necessário o apoio com a mão, apenas quando os seios da mãe são muito grandes e pesados. É preciso cuidado para não bloquear a descida do leite (não use o dedo em tesoura) e não coloque o dedo na aréola, pois é lá que o bebê deve colocar a boca.

É importante que o bebê arrote depois da mamada, pois engole muito ar enquanto mama que se acumula em seu estômago, causando desconforto. Cada criança tem seu próprio padrão de sucção variando o tempo da mamada, por isso evite controlar esse tempo.

Durante o período de amamentação, é recomendável que a mãe tenha uma dieta equilibrada, rica em cálcio (encontrado nos laticínios), iodo (presente em peixes de água salgada) e aumentar a quantidade de ingestão de líquidos.

Como graças a Deus minha produção de leitinho é boa e sempre optei pela livre demanda, para dormir e ficar em casa eu usei muito essas conchas da marca Amamente.

BASE FLEXÍVEL – melhor para coletar leite e proteger seios rachados

O Leite da concha NÃO pode ser armazenado, nem dado ao bebê, é muito importante fazer assepsia das conchas e mante-las sempre secas ao colocar nos seios.

A concha da amamente tem :
transparência, para que seja fácil avaliar seu estado de conservação e limpeza. Lembre-se de que a limpeza é fundamental. O ideal é que as conchas sejam higienizadas e fervidas todos os dias.
 orifícios para ventilação, para permitir a respiração do mamilo e evitar infecções. Caso não haja ventilação, o resultado pode ser uma infecção por cândida ou então outros tipos de danos aos mamilos. Mamilos sem ventilação podem rachar mais facilmente.
» O furo onde se coloca o mamilo não deve ser muito pequeno, do contrário irá machucar. O ideal é que o furo permita que, não só o bico, mas também uma parte da aréola fique dentro do aparelho.

 

Mas Rafa, como você fazia essa limpeza?
Limpava a concha sempre depois de cada mamada na pia do banheiro mesmo e quando ia tomar banho, e 1 vez no dia dava uma esterilizada.
OBS.: pergunte ao seu médico TUDO que você quiser usar e ou tomar durante a lactação.

Aqui em Santos temos um banco de leite que sempre esta pronto para nos ajudar, desde ensinar a mãe amamentar, o bebê a mamar, ordenhar a mama ou até mesmo tratar algumas fissuras.

No Instagram da amamente você pode conferir todos os produtos e todas as mamães que usam e recomendam a marca.

A Amamentação é recomendada pelo Ministério da Saúde até os dois anos de idade ou mais, e que nos primeiros 6 meses, o bebê receba somente leite materno, sem necessidade de sucos, chás, água e outros alimentos. Quanto mais tempo o bebê mamar no peito, melhor para ele e para a mãe. Depois dos 6 meses, a amamentação deve ser complementada com outros alimentos saudáveis e de hábitos da família. Amamentar é muito mais do que nutrir a criança. É um processo que envolve interação profunda entre mãe e filho, com repercussões no estado nutricional da criança, em sua habilidade de se defender de infecções, em sua fisiologia e no seu desenvolvimento cognitivo e emocional.

 Benefícios da amamentação

O leite materno é um alimento completo. Isso significa que, até os 6 meses, o bebê não precisa de nenhum outro alimento (chá, suco, água ou outro leite). Ele é de mais fácil digestão do que qualquer outro leite e funciona como uma vacina*, pois é rico em anticorpos, protegendo a criança de muitas doenças como diarreia, infecções respiratórias, alergias, diminui o risco de hipertensão, colesterol alto, diabetes e obesidade. Além disso, é limpo, está sempre pronto e quentinho. A amamentação favorece um contato mais íntimo entre a mãe e o bebê. Sugar o peito é um excelente exercício para o desenvolvimento da face da criança, ajuda a ter dentes bonitos, a desenvolver a fala e a ter uma boa respiração.

*O aleitamento materno não exclui a necessidade de cumprimento do calendário de vacinação da criança.

Benefícios para o bebê: O leite materno protege contra diarreias, infecções respiratórias e alergias. Diminui o risco de hipertensão, colesterol alto e diabetes, além de reduzir a chance de desenvolver obesidade. Crianças amamentadas no peito são mais inteligentes, há evidências de que o aleitamento materno contribui para o desenvolvimento cognitivo.

Benefícios para a mãe: Reduz o peso mais rapidamente após o parto. Ajuda o útero a recuperar seu tamanho normal, diminuindo o risco de hemorragia e de anemia após o parto. Reduz o risco de diabetes. Reduz o risco de desenvolvimento de câncer de mama e de ovário. Pode ser um método natural para evitar uma nova gravidez nos primeiros 6 meses desde que a mãe esteja amamentando exclusivamente (a criança não recebe nenhum outro alimento) e em livre demanda (dia e noite, sempre que o bebê quiser) e ainda não tenha menstruado.

Benefícios para a família e para o sistema de saúde: Não amamentar pode significar sacrifícios para uma família com pouca renda. Em 2004, o gasto médio mensal com a compra de leite para alimentar um bebê nos primeiros seis meses de vida no Brasil variou de 38% a 133% do salário-mínimo, dependendo da marca da fórmula infantil. A esse gasto devem-se acrescentar custos com mamadeiras, bicos e gás de cozinha, além de eventuais gastos decorrentes de doenças, que são mais comuns em crianças não amamentadas. Para os serviços de saúde a economia é em um menor número de internações, consultas e medicações. Estima-se que o aleitamento materno poderia evitar 13% das mortes em crianças menores de 5 anos em todo o mundo por causas evitáveis.

O Pai / Companheiro: O pai tem sido identificado como importante fonte de apoio à amamentação. Ele tem importante papel, não apenas nos cuidados com o bebê, mas também nos cuidados com a mãe. Portanto, cabe ao profissional de saúde dar atenção ao novo pai e estimulá-lo a participar desse período vital para a família.
(fonte: http://portalms.saude.gov.br/saude-para-voce/saude-da-crianca/aleitamento-materno#a)

Para você que esta iniciando na amamentação uma Linda Lua de Leite, tenha calma e procure ajuda de precisar.
Lua de Leite é o tempo de que mãe e bebê necessitam para se conhecerem, se adaptarem à nova vida e fortalecerem os vínculos. Com o puerpério a vida fica de cabeça para baixo. Se você já esta como eu, meses de tetezinho parabéns pela aventura. Mas se você mãe, não conseguiu amamentar no peito parabéns também, você é tão poderosa quanto todas as outras.

 

Um beijo enorme mamães.