AMArmentar – parte 3

 

Ele ainda Mama?
Não! quando eu não tenho o que fazer coloco ele aqui.

 

Aff, tira esse menino do peito…
Tiro, quando ele fizer 18 anos, e se reclamar deixo até os 20

 

Ainda sai leite?
Não! ele aperta um botão e escolhe a bebida

O Felipe tem 01 ano e 4 meses e eu ouço demais isso. É muito mais que amamentar, é aconchegar, acalmar, é carinho, amor, laço …..

Mas não foram nada “fáceis” esses meses de tetezinho, como já contei tivemos alguns obstáculos no caminho e nesses obstáculos, com o peito ferido não pude usar nem o absorvente e nem a concha.

A minha anja me ensinou uma rosquinha que virou minha best friends rs. Ela além de deixar a auréola e o bico ventilarem, ainda são super legais pois não existe atrito com a ferida, fazendo com que o processo de cicatrização flua.

Em tempos ecológicos, e nas minhas mudanças de hábito, optei por deixar os absorventes para saídas e para quando recebia algumas visitas, de pessoas não tão íntimas. -Elas ajudam a aliviar a sensibilidade que pode acontecer nas primeiras semanas de amamentação e também absorvem o leite que pode vazar dos seios. Elas possuem um buraco central onde se encaixa o mamilo, de modo que ele fique centralizado para não encostar em nada, e o buraco também permite a ventilação desta região.

Usar em contato direto com os seios, dentro do sutiã.

Mas Rafa, onde eu acho essa tal rosca?

Calma, que tudo o que vamos precisar é de uma fralda. Ah e pode ser de qualquer tamanho, é claro que uma fralda pequena (aquela de boca) fica mais discreto, rs.

Obs: As fissuras nos mamilos acontecem por pega errada do bebê e a pega errada, por sua vez, pode ter diversas razões, mas não deve persistir. Procure ajuda com profissionais especialistas em amamentação.

Para sair eu não abria mão dos absorventes e usava da marca amamente, pois eles tem fita adesiva que grudam no sutiãn e não ficam “sambando” sabe.

  • A umidade deixa a pele mais frágil. Por isso, sutiãs e protetores devem estar sempre secos. Troque-os com frequência.
  • Nas primeiras duas ou três semanas após o parto, fuja de sutiãs com aberturas especiais para amamentar. Quando os seios enchem, a costura reforçada das aberturas pode pressionar os dutos mamários, fazendo o leite empedrar. Os modelos mais indicados são os de tecido macio, sem recortes, com bojos grandes, boa sustentação e alças largas.
  • Se as mamas estão pesadas demais e doloridas, pode ser que a criança não esteja dando conta da sua produção. Com o passar do tempo, haverá um ajuste natural entre vocês. Até lá, nunca ofereça o peito muito cheio ao bebê. Como é difícil pegar o bico, as tentativas poderão machucá-la. O melhor é tirar o excesso de leite.
  • Você pode tirar o leite com bombinhas (existem elétricas e manuais) ou com as próprias mãos, bem limpas. Veja com qual método você se adapta melhor. Com as mãos, comece massageando suavemente a região em torno da aréola para dissolver possíveis nódulos. Em seguida, coloque os dedos onde termina a aréola, envolvendo o peito cuidadosamente, e pressione até o leite sair, sem esticar a pele. Esvaziar os seios quando estão cheios demais também evita que o leite empedre.
  • No caso de excesso de leite, não faça compressas mornas ou quentes. O calor tende a aumentar ainda mais a produção. Busque alívio em compressas frias ou geladas. Uma boa opção é fazê-las com chá de camomila quase gelado.
  • Nunca puxe o peito para interromper a mamada. Coloque seu dedo mínimo entre o bico e a criança e, quando ela passar a sugar o dedo, retire o peito suavemente.
  • Ofereça os dois peitos ao bebê. Se ele ainda é pequeno, faça revezamento: comece a mamada pelo peito que não entrou em ação na mamada anterior. Assim, você evita que um deles fique cheio demais e empedre. É recomendável também que a criança esvazie o peito. O leite posterior (do final da mamada) traz maior índice de gordura e a sensação de saciedade. Assim, se o bebê mamar bem, não vai logo chorar de fome novamente.

É claro que bebês não são máquina e TODOS eles são um serumaninho e tem seus dias ruins e bons, toda e qualquer alteração nas mamas e mamadas, devem ser comunicados há um especialista. NUNCA se auto mediquem e nem busquem explicações no Dr Google.

Um beijo enorme, para as mamães recentes uma linda lua de leite, para as mamães de bebezões como eu Força meninas.

 

Amamentação – Parte 2

AMARmentar, e o que ninguém te conta.

Na gestação do Rico eu preparei as mamas, fiz inúmeros banhos de Sol, passei esponja para “engrossar o bico”, fiz a técnica do radinho… e não tive nenhum problema, já na do Felipinho fiz um Post no Instagram e choveu comentários de que eu estava errada, que isso não se fazia mais, bom coincidências ou não: fissuras.

Vocês sabiam que a maioria das mãezinhas que pararam a amamentação exclusiva foi decorrente de algum trauma mamário? Tive alguns obstáculos na amamentação do Fê, mas seguimos mono teta e na livre demanda até hoje.

Entre as alterações mamárias mais comuns na primeira semana de amamentação, destaca-se: ingurgitamento, dor, mastite, edema e trauma mamilar.

Ah o trauma mamilar, ele está entre as principais causas do abandono do aleitamento materno. Geralmente o mesmo ocorre na primeira semana após o parto, no meu caso uma pega errada quando ele estava com 4 meses.

Juro que eu prefiro 10 partos normais há um machucado na mama. Uma noite o Fê pegou o peito errado e fez uma bolha (lembra que falamos da pega no parte 1?) que doooor, tentei de tudo: SOl, esparadrapo, ai comprei aquele *protetor de silicone indicação de algumas amigas, mas a dor era na feridinha, nada adiantou até chamar minha Anja (uma enfermeira especializada em amamentação) para laserterapia. Mas calma, amamentar não é sofrimento, tem carinho, tem amor, tem apego.

 

 

Esse foi o que eu comprei para usar, ele é extremamente fininho, porém no meu caso não adiantou, algumas mamães me disseram que para elas foi muito bom. Lembre-se sempre de perguntar ao seu médico se ele indica determinado produto para você, cada caso é um caso.

 

 

 

Outras causas possíveis seriam: o uso de cremes e óleos (que deixam a pele fina e sensível) ou de sabonetes (que ressecam a pele) nos mamilos, a presença de mamilos curtos, planos ou invertidos, disfunções orais na criança, frênulo lingual excessivamente curto, sucção não nutritiva prolongada, uso impróprio de bombas de extração de leite, não interrupção adequada da sucção da criança quando for necessário retirá-la do peito, uso de protetores de mamilo (intermediários) e exposição prolongada a forros úmidos.

Para prevenir a ocorrência de fissuras a mãe deve:

  • atentar à pega da mama,
  • manter as mamas secas,
  • realizar ordenha manual para permitir que a aréola esteja maleável e o bebê consiga realizar a pega correta
  • eliminar o uso de produtos (cremes, óleos, sabonete)
  • não utilizar conchas ou intermediários
  • oferecer a mama em livre demanda e antes que o bebê esteja com muita fome
  • quando necessário retirar o bebê da mama, colocar o dedo mínimo em sua comissura labial até a língua para eliminar a pressão negativa

No entanto, quando a fissura acontece, ela é muito dolorosa e pode levar ao desmame precoce, por isso é importante tratá-la corretamente, procure sua GO ou até um mastologista, mas NÃO SE AUTOMEDIQUEM. Eu recorri a minha GO e a enfermeira de amamentação, que faz um trabalho lindo aqui na Baixada Santista,  usamos a Laserterapia.

Além de corrigir a pega da mama e posição, o tratamento indicado pelo Ministério da Saúde é:

  • oferecer a mama menos afetada inicialmente, assim o bebê já estará mais saciado quando for para a outra mama e haverá menor pressão negativa
  • realizar ordenha prévia para liberação do leite
  • oferecer a mama em outras posições, até encontrar a mais confortável
  • Não se deve utilizar banho de luz, banho de sol, secador de cabelo, pois hoje se sabe que a cicatrização de feridas é mais eficiente se as camadas internas da epiderme (expostas pela lesão) se mantiverem úmidas
  • dar pausa na amamentação do lado afetado por alguns dias até que a fissura cicatrize, mas realizar ordenha manual durante este período.
  • Não utilizar cremes, óleos, compressas de chá ou quaisquer outros produtos. Seus efeitos não são comprovados.
  • Cuidado com o uso da lanolina purificada. Ela pode diminuir o desconforto da lactante, porém não existem evidências de que esse produto acelere a cicatrização.

 

 

 

 

AMAmentar é um ato de doação, de amor, de acalanto. Além de alimentar estamos nos conectando, aumentando nosso vínculo mãe e filho. Não deixem que “conselhos” lhe frustem e ou lhe desanimem, VOCÊ é a melhor mãe que seu filho pode ter.