Cólicas, calma que é normal!

Ahhh a Maternidade e as provas de sanidade mental que somos colocadas, rs.

CÓLICAS!

Meu Senhor, eu só tenho a agradecer, o Enrico teve uma única vez, já o Felipe algumas rs.
E não adianta simpatia nenhuma, rs pois as cólicas não estão associadas a nenhuma doença. Na verdade, ás cólicas (contrações da musculatura abdominal) são naturais e esperadas, isto é, fazem parte do desenvolvimento da criança. Elas acontecem nos primeiros três meses de vida porque seu filho está se acostumando a digerir o leite e a flora intestinal dele ainda não está formada. Lembre-se ele ficou 41 semanas só no líquido amniótico. É uma adaptação necessária para que o corpo da criança aprenda a lidar com o volume do alimento e também com os gases. JUDIAÇÃO, né? Mas me lembro do ditado da minha mãe: – Crescer dói!.

Por aqui usei bastante uma bolsinha de água quente própria para bebês, elas eram luz!
Recentemente descobri que a Algoducci desenvolveu uma Bolsinha Térmica com Sementes Terapêuticas, que contém erva-doce, camomila, linhaça e capim-santo para dar um cheirinho especial.

O produto é confeccionado em tecido 100% algodão permeável e pode ser lavado. Beeeem receita de vó né? A receita seguida pela empresária Regina Villanueva, na época em que seus filhos eram recém-nascidos, foi a inspiração para a criação, e acabou virando um produto da marca.

Além de ser recomendável para amenizar o desconforto tanto das cólicas quanto dos gases dos bebês, a bolsinha também é indicada para cólicas menstruais, informa a empresária Regina Villanueva, idealizadora da marca. Quanto a forma de utilização Regina explica: “A bolsinha deve ser aquecida no micro-ondas em média 30 a 40 segundos, mas é aconselhável que a mãe teste a temperatura antes de colocar na barriguinha do bebê, por cima da roupinha, até que os sintomas passem”.

Muitas são as dúvidas e inseguranças quanto aos motivos do choro do bebê, que servem de alerta para as mães. E para falar sobre esse assunto, consultamos a pediatra Dra. Loretta Campos, que esclarece: “As cólicas podem ser identificadas quando o bebê chora com intensidade, encolhe as perninhas e arqueia as costas para trás, estica-se e se espreme, além de soltar puns. Normalmente a cólica ataca no final da tarde e à noite, mas em casos mais difíceis o bebê chora a qualquer hora do dia. Pode ficar difícil dar de mamar para o bebê quando ele está tão desconfortável, algumas vezes a cólica pode aparecer durante a amamentação”, explica a médica.

PELOAMORDEUS em circunstancia nenhuma deem chá para os bebês, a vizinha recomendou e ou a prima da amiga do fulano fez e foi ótimo, bebês até os 6 meses precisam de Leite Materno e ou Fórmula (para aqueles que não mamam no peito).

Remédios somente sob prescrição do pediatra, OK?

Somos mães e claro que o desespero do nosso bebê, também é o nosso, então …

  • Respire, tente se acalmar para não passar para ele o seu nervosismo;
  • Coloque ele de bruços e embale-o em seus braços;
  • Massagens circulares em sentido horário no abdômen e ao redor do umbigo ajudam a soltar os gases. Um pouquinho de óleo de bétula ou de amêndoa, isso aquece o local e acalma o bebê;
  • as bolsinhas de água são super relaxantes e fazem um ótimo resultado;
  • leve ele para um ambiente mais calmo, com pouca luz, cante para ele e ou coloque uma musiquinha relaxante;
  • barriga com barriguinha: calor e aconchego.

Nenhum bebê nasce pronto, assim como nunca estamos prontas, então: que venham as experiencias.

Beijos enormes e espero que tenham gostado da dica.

AMArmentar – parte 3

 

Ele ainda Mama?
Não! quando eu não tenho o que fazer coloco ele aqui.

 

Aff, tira esse menino do peito…
Tiro, quando ele fizer 18 anos, e se reclamar deixo até os 20

 

Ainda sai leite?
Não! ele aperta um botão e escolhe a bebida

O Felipe tem 01 ano e 4 meses e eu ouço demais isso. É muito mais que amamentar, é aconchegar, acalmar, é carinho, amor, laço …..

Mas não foram nada “fáceis” esses meses de tetezinho, como já contei tivemos alguns obstáculos no caminho e nesses obstáculos, com o peito ferido não pude usar nem o absorvente e nem a concha.

A minha anja me ensinou uma rosquinha que virou minha best friends rs. Ela além de deixar a auréola e o bico ventilarem, ainda são super legais pois não existe atrito com a ferida, fazendo com que o processo de cicatrização flua.

Em tempos ecológicos, e nas minhas mudanças de hábito, optei por deixar os absorventes para saídas e para quando recebia algumas visitas, de pessoas não tão íntimas. -Elas ajudam a aliviar a sensibilidade que pode acontecer nas primeiras semanas de amamentação e também absorvem o leite que pode vazar dos seios. Elas possuem um buraco central onde se encaixa o mamilo, de modo que ele fique centralizado para não encostar em nada, e o buraco também permite a ventilação desta região.

Usar em contato direto com os seios, dentro do sutiã.

Mas Rafa, onde eu acho essa tal rosca?

Calma, que tudo o que vamos precisar é de uma fralda. Ah e pode ser de qualquer tamanho, é claro que uma fralda pequena (aquela de boca) fica mais discreto, rs.

Obs: As fissuras nos mamilos acontecem por pega errada do bebê e a pega errada, por sua vez, pode ter diversas razões, mas não deve persistir. Procure ajuda com profissionais especialistas em amamentação.

Para sair eu não abria mão dos absorventes e usava da marca amamente, pois eles tem fita adesiva que grudam no sutiãn e não ficam “sambando” sabe.

  • A umidade deixa a pele mais frágil. Por isso, sutiãs e protetores devem estar sempre secos. Troque-os com frequência.
  • Nas primeiras duas ou três semanas após o parto, fuja de sutiãs com aberturas especiais para amamentar. Quando os seios enchem, a costura reforçada das aberturas pode pressionar os dutos mamários, fazendo o leite empedrar. Os modelos mais indicados são os de tecido macio, sem recortes, com bojos grandes, boa sustentação e alças largas.
  • Se as mamas estão pesadas demais e doloridas, pode ser que a criança não esteja dando conta da sua produção. Com o passar do tempo, haverá um ajuste natural entre vocês. Até lá, nunca ofereça o peito muito cheio ao bebê. Como é difícil pegar o bico, as tentativas poderão machucá-la. O melhor é tirar o excesso de leite.
  • Você pode tirar o leite com bombinhas (existem elétricas e manuais) ou com as próprias mãos, bem limpas. Veja com qual método você se adapta melhor. Com as mãos, comece massageando suavemente a região em torno da aréola para dissolver possíveis nódulos. Em seguida, coloque os dedos onde termina a aréola, envolvendo o peito cuidadosamente, e pressione até o leite sair, sem esticar a pele. Esvaziar os seios quando estão cheios demais também evita que o leite empedre.
  • No caso de excesso de leite, não faça compressas mornas ou quentes. O calor tende a aumentar ainda mais a produção. Busque alívio em compressas frias ou geladas. Uma boa opção é fazê-las com chá de camomila quase gelado.
  • Nunca puxe o peito para interromper a mamada. Coloque seu dedo mínimo entre o bico e a criança e, quando ela passar a sugar o dedo, retire o peito suavemente.
  • Ofereça os dois peitos ao bebê. Se ele ainda é pequeno, faça revezamento: comece a mamada pelo peito que não entrou em ação na mamada anterior. Assim, você evita que um deles fique cheio demais e empedre. É recomendável também que a criança esvazie o peito. O leite posterior (do final da mamada) traz maior índice de gordura e a sensação de saciedade. Assim, se o bebê mamar bem, não vai logo chorar de fome novamente.

É claro que bebês não são máquina e TODOS eles são um serumaninho e tem seus dias ruins e bons, toda e qualquer alteração nas mamas e mamadas, devem ser comunicados há um especialista. NUNCA se auto mediquem e nem busquem explicações no Dr Google.

Um beijo enorme, para as mamães recentes uma linda lua de leite, para as mamães de bebezões como eu Força meninas.

 

Banhos Terapêuticos.

Ahhh que um banho é super relaxante não é?

Sempre li bastante sobre os banhos terapêuticos e sou uma apaixonada por esse tema. A minha amiga e Doula Juliana Fernandes veio dar o primeiro banho de ofurô do Felipinho e foi uma delícia, depois de maiorzinho continuei usando o ofurô para os dias de mais agitação e colocava camomila na água, compro á granel em empórios.

A camomila é sinônimo de relaxamento e calma, mas ela vai muito além:

  • Ajuda a acalmar e relaxar
  • Alivia o estresse
  • Acalma e remove as impurezas da pele
  • Serve também como analgésico
  • Acalma a mente, ajudando com a depressão
  • Por ser um calmante natural, o banho ajuda a combater a insônia.

Para preparar o banho vocês vão precisar de:
– camomila desidratada ou 2 sachês de chá para infusão;
🛀 como utilizar:
Camomila desidratada: preparei o banho com a água mais quente que o normal e coloquei um punhado, esperei um pouco até ficar na temperatura entre 36 graus. Ficou um aroma delicioso.
Camomila em sachês para infusão:
Faça o chá como de costume (sem acrescentar açúcar) e coloque na água da banheira.

Nosso primeiro banho com camomila foi aos 4 meses.

Outras ervas bacanudas:

Calêndula: boa para eczemas e problemas de pele.
Hortelã: refrescante e melhora resfriados e vias aéreas congestionadas.
Sálvia: melhora gripes, resfriados e vias aéreas congestionadas
Manjericão: ajuda o bebê a relaxar, é digestivo, alivia as cólicas.
Aveia: bom para aliviar coceiras, dermatites e melhorar a pele sensível e seca do bebê.
Campim Limão ou Erva Cidreira: analgésica, antialérgica, antiespasmódica, anti-inflamatória, antimicrobiana, antinevrálgica, antisséptica, cicatrizante e aromática. Atua como calmante e sedativo, tônico, relaxante e adstringente.

Nosso banho com a erva cidreira foi mais interativo, além do cheirinho delicioso o Fê brincou de tentar pegar as folhas.

Um banho quentinho e demorado à noite, antes de dormir, tem o poder de acalmar e relaxar.  Apenas deixe a criança com o corpo imerso na banheira e, se quiser, coloque uma música instrumental ou com sons da natureza bem baixinha. É sair da banheira, tetezinho e soninho gostosinho, rs.

Confesso que até o Rico entra na fila do banho kkkkkk e se espreme todo pra caber na banheira do irmão rs.

E você, tem algum banho diferentão? Se fizer conta pra mim a sua experiencia.

Beijão.

 

 

Primeiro trimestre de Gestação.

Quando eu ouvia:

-Nenhuma gestação é igual.

Eu tive plena certeza rs, já contei dos enjoos, mas nessa gestação eu estou mais medrosa.

Não sei explicar ao certo, mas acho que a quantidade de informação nos deixa mais apreensivos. O primeiro trimestre de gestação vai da 1ª até a 12ª semana de gravidez e durante esse período o corpo vai se adaptando às sucessivas mudanças que durarão, aproximadamente, 40 semanas, até o nascimento do bebê.

Alguns exames na primeira consulta do pré-natal.

Os exames de sangue que devem ser feitos no 1º trimestre de gravidez são:

  • Hemograma completo: Serve para verificar se há alguma infecção ou anemia.
  • Tipo sanguíneo e fator Rh: Importante quando o fator Rh dos pais é diferente, quando um é positivo e outro é negativo.
  • VDRL: Serve para verificar se há sífilis, uma doença sexualmente transmissível, que se não for devidamente tratada, pode levar a malformação do bebê ou aborto espontâneo.
  • HIV: Serve para identificar o vírus HIV que provoca a AIDS. Se a mãe for devidamente tratada, as chances do bebê se contaminar são baixas.
  • Hepatite B e C: Serve para diagnosticar as hepatites B e C. Se a mãe receber o devido tratamento, evita que o bebê seja contaminado com estes vírus.
  • Tireóide: Serve para avaliar o funcionamento da tireoide, os níveis de TSH, T3 e T4, pois o hipertireoidismo pode levar ao aborto espontâneo.
  • Glicose: Serve para diagnosticar ou acompanhar o tratamento da diabetes gestacional.
  • Toxoplasmose: Serve para verificar se a mãe já teve contato com o protozoário Toxoplasma gondi, o qual pode causar malformação no bebê. Caso não seja imune, ela deverá receber orientações para evitar a contaminação.
  • Rubéola: Serve para diagnosticar se a mãe possui rubéola, pois esta doença pode provocar malformação nos olhos, coração ou cérebro do bebê e também aumenta o risco de aborto espontâneo e de parto prematuro.
  • Citomegalovírus ou CMV: Serve para diagnosticar a infecção pelo citomegalovírus, que quando não é devidamente tratada pode causar restrição de crescimento, microcefalia, icterícia ou surdez congênita no bebê.

Esses são super “de boa”, mas uma ultrassom específica me deixou apreensiva, a ultrassom realizado com 11 semanas de gestação, nela é possível fazer a medida da translucência nucal, que é uma medida tirada no ultrassom morfológico do primeiro trimestre, um exame de rotina que tem como principal objetivo ajudar a detectar o risco de síndrome de Down e outras anomalias cromossômicas, além de problemas cardíacos. O objetivo principal da translucência nucal é medir um espaço específico na nuca do bebê, entre 11 e 14 semanas de gravidez. A partir de 14 semanas, não dá mais para fazer o exame, porque o espaço deixa de ser transparente na imagem do ultrassom. Mamães temos que nos atentar e fazer tudinho que nossos GOs pedem, as datas são primordiais.

Bebês que tenham alguma anomalia tendem a acumular mais líquido nessa região da nuca, por isso uma medida acima da média normal é considerada um possível indicador de algum problema. Durante o mesmo exame, também se verifica a presença do osso nasal. A ausência desse osso pode ser mais um indicador de anormalidade.
Às vezes, o resultado da medida da translucência nucal é combinado com o resultado de um exame de sangue feito na mãe, gerando uma avaliação do risco da presença de alguma síndrome cromossômica. Esse exame de sangue é útil porque diminui o grande número de falsos positivos que só a medida pelo ultrassom apresenta.
Com base no resultado da translucência nucal, na presença ou não do osso nasal e na idade da mãe, o médico pode sugerir a realização de algum outro exame, como o diagnóstico pré-natal não-invasivo (feito pelo exame de sangue)biópsia do vilo corial ou a amniocentese, a fim de confirmar ou descartar uma eventual suspeita.
Se você fizer o exame o quanto antes, próximo das 11 semanas, terá mais tempo de fazer uma biópsia do vilo corial (que pode ser feita até 13 semanas) para ter uma resposta definitiva, em caso de suspeita de anormalidade.
Por outro lado, em termos médicos, 12 semanas completas é o momento ideal para o exame. O exame de marcadores bioquímicos no sangue, que deixa o resultado da translucência nucal mais preciso, também é realizado com 12 semanas. E mamães NADA de ficar no tio google.

E lá ficamos alguns instantes (quase uma eternidade, rs) e ouvimos:

Tudo normal.

Meu medo era algum probleminha cardíaco, aflição boba né? Mas graças a deus coração OK rs.

Muitas pessoas ainda não sabiam da gestação, e agora só faltava 02 semanas para contarmos para todo mundo, e fazer aquela foto com textão no Insta, rs.

 

 

Quando Nasce uma mãe, nasce a culpa?

Oie amorinhas,

A gente ouve e se pega falando: Nasce a mãe, nasce a culpa. Mas será mesmo?

Pelo dicionário: Significado de Culpa
-substantivo feminino
-Responsabilidade por uma ação que ocasiona dano ou prejuízo a outra pessoa: não assumiu a culpa pelo atraso dos pagamentos.
-[Jurídico] Ato ou omissão repreensível ou criminosa; falta voluntária, delito, crime: pagar por uma culpa.
-[Jurídico] Ação que ocasiona propositalmente danos a outrem.
Sentimento doloroso de quem se arrependeu de suas ações: estou sofrendo porque tenho culpa.

Lendo assim, nenhuma delas se encaixa na maternidade não é? rs.

Nós culpamos por não ter tempo,

Nós culpamos por voltar a trabalhar,

Nós culpamos por não ter conseguido amamentar….

Nós culpamos ou a sociedade está nos julgando?

A mãe esta amamentando seu filho no peito, eis que escuta:

-Nossa essa criança ja come, pra que continuar com o peito?

A mãe amamentando seu filho com a mamadeira, eis que houve:

-A tadinho, você não teve leite? que judiação

A mãe sai pra trabalhar, deixe seu bem mais precioso na escola, babá ou com os avós e…

– Mas você já vai voltar? Vocês tem condição, para de trabalhar.

A sociedade cobra de uma mãe, de um filho, de uma mulher, ela questiona, aponta o dedo, mas ninguém para do seu lado e pergunta:

-Você teve problemas pra amamentar?

Mas aponta o dedo e diz: Olha lá ela da mamadeira.

Hipocrisia? talvez.

Acontece que o mundo esta ficando chato e as pessoas só sabem cobrar, uma mãe puérpera esta com sentimentos aflorados, está tentando entender as mudanças em seu corpo, as mudanças de rotina e isso vale para mamães de primeira, segunda, terceira, quarta e de muitas viagens rs. O ser humano precisa de mais cuidados ao falar, julgar menos e perguntar mais. O que não ajuda, é a visão que a sociedade têm de que os filhos são como um peso a ser suportado, um inconveniente a driblar. A mãe que abre mão de estar trabalhando, para ter mais tempo com os filhos pode se sentir perdendo a oportunidade de fazer algo que tenha reconhecimento na sociedade, por outro lado temos uma sociedade que julga quando uma mãe volta ao seu emprego, ou larga o mesmo para ser mãe em tempo integral.

Não podemos esquecer da frase: – A culpa é da mãe que trabalha o dia inteiro e não vê isso!

SIMPLESMENTE PAREM!

Uma mãe só quer ser Mãe, cuidar e educar do jeito dela, você e mais ninguém é a mãe dos seus filhos, por pior mãe que você se sinta, você sempre será a melhor mãe do mundo. Quantas vezes não nos pegamos abraçando os nossos filhos e pedindo desculpas?.

“Será que uma mãe pode esquecer do seu bebê que ainda mama e não ter compaixão do filho que gerou? Embora ela possa se esquecer, eu não me esquecerei de você!“
Isaías 49:15

Vamos focar no mais importante? em ser mãe, sem culpar, sem cobrar, só amando.

Por menos dedos apontados, e mais braços esticados.

 

 

 

É menino ou Menina?

… lá estava nossa sementinha plantadinha, com a graça de Deus.

Optamos por não contar abertamente pois sabemos dos riscos que o primeiro trimestre trás.

A família já dava seus palpites: É menina!!!

O Rico mesmo falava que eu teria uma menina na barriga, mas será que ele adivinhou? Rs. Lá dentro de mim, achava que era menino, mas todos diziam que criança sente, então vamos aguardar rs.

Ultra marcado, vamos nós.

dia 31/03 – Assim que chegamos entramos na sala, um misto de tudo, rs. E lá fomos nós: Papai, mamãe e Riquinho e a vovó paterna. A Dra Cristiane Assis, que nós atendeu, já notamos desde o começo um certo diferencial, ela mal falava conosco e sua atenção era voltada para o Rico. Brincadeiras e a Ultra foi fluindo, ela perguntou o que tinha na barriga da mamãe e ele:

– A Helena!

Ela olhou e disse:

– Cara, eu acho que vem outro menino.

Na mesma hora ele emburrou… a Dra Cris sentiu o ar de desanimo dele, e soltou:

– Olha, menina é tudo chata, eu tenho um casal e meu menino vive de lacinhos, unha pintada… Já pensou ela querendo que você brinque de Barbie?

Ao sair da consulta, um alívio: graças a Deus nossa sementinha estava ótima, tudo de acordo com a idade gestacional. Maaaas, mesmo sem ter a certeza de que seria outro menino, o meu pequeno estava chateado e até choramingou, afinal ele queria a Helena, rs.

Quando acabou a ultra ela disse: – Abri a mão, vou te mostrar um bebê do tamanho que esta na barriga da mamãe.

Confesso que nessa gestação meus medos e anseios estão mais aflorados, achei que me sentiria mais segura por já ter vivenciado tudo, mas não, rs. E a gora a ultrassom da translucência nucal me deixou sem dormir, mas gracas a Deus tudo OK.

É como dizem: cada gestação é uma gestação e essa veio super diferente.

Dia: 02/05/2017

Ansiedade de tooooodos a mil, afinal: Menina ou menino.

Desde o último palpite eu já tinha “certeza” que seria outra piroquinha rs.

Mas vamos lá, iniciamos a ultrassom como de praxe, hoje a Dra Cris contou os dedinhos, mostrou o cordão e nadaaaaa do sexo, quando de repente, ele virou e deixou tudo a mostra e do meu lado um grito:

– Olha a Piroca do meu irmão!!!!

todos gargalhamos e a Dra completou: – Isso mesmo rapaz, como você sabia?

– minha mãe me mostrou as minhas fotos dessas. rs

Perguntamos:

dra: -Mas e ae, qual será o nome?

Enrico: – Felipe!

Eu: -Mas pq Felipe, de onde você tirou esse nome?

Enrico: – Mãe não se mete, o irmão é meu.

Eu: entre risos e lágrimas só respondi: – Ok, meu filho, ele é o seu irmão.

 

Enjoôs – Que fase …

Meu Deus,

Virei um zumbi? Não consigo mais fazer nadaaaaaaa. Até tomar água está insuportável.

Dormi bem e acordei enjoando até do ar que eu respiro, o que é isso?!

“Entre essas mudanças estão a rápida elevação nos seus níveis de estrogênio, a presença do hormônio hCG, o olfato mais apurado, a maior acidez do estômago e o cansaço.
Não serve muito de consolo, mas saiba que entre 75 e 80 por cento de todas as grávidas passam as primeiras semanas de gestação com a sensação de que podem vomitar a qualquer momento.
E 50 por cento das grávidas vomitam mesmo.
Mas não é porque o enjoo é comum e normal que não deva ser tratado. Converse com o médico sobre o enjoo e o quanto ele está afetando sua vida e sua alimentação.”
fonte: https://brasil.babycenter.com/a1500435/enjoo-na-gravidez#ixzz55bWBxKfn

OK! mas nada animador. Na gestação do Rico não tive nadica de nada, tinha disposição, tinha gás … Já nessa, sono profundo em qualquer piscada, enjoo só de pensar que tenho que comer, será a idade?

Bom vamos nós para o Dramin, tomei e naaaaada, me sentia no seriado: the walking dead kkkkkkkk. No terceiro dia assim eu só chorava, me sentia um nada, uma imprestável, afinal eu tinha um filho que dependia de mim pra levar na escola, comer… Ai na manha do quarto dia ele deitadinho do meu lado, eu so disse:

-me desculpa, a mamãe queria brincar com você, mas to muito enjoada, me desculpa…. e mais choro

ele me olhou e disse: – calma mamãe, cada bebê é de um jeito, vou pegar a sua maça.

“Se serve de consolo para quem está sofrendo com o enjoo, sim, é verdade que o enjoo indica a presença dos hormônios que sustentam a gravidez, portanto é um “bom” sinal.Por outro lado, não é mau sinal não ter enjoo. Ao contrário: pode ser sinal de sorte da grávida, que não vai ter de conviver com a desagradável sensação de estar à beira do vômito o tempo todo.É bom saber também que o enjoo por si só não afeta o bem estar do bebê.”

fonte:https://brasil.babycenter.com/a1500435/enjoo-na-gravidez#ixzz55fgeAm6q

Ahhh Papai do Céu, obrigada por me enviar um menino tão evoluído. E assim foram 8 dias comendo maça, bolacha de água e sal em jejum, gengibre, água com limão…. mudar a medicação e nada melhorar….. No 10º dia, que mais parecia 1 mês, a Drª disse: – Olha, se esse não der jeito, só internando agora Rafa. Seguida as recomendações, tomei o remédio antes de ir dormir, 8 horas depois quando acordei…. TO VIVAAAAAA tomei café, minha gente, refoguei até o arroz e não passei mal, SIM estou vivendo kkkkkkkkk. Meu Deus que milagre, pode ate parecer exagero, mas estava desesperada.

O maridão esses dias todos foi mega parceiro e se desdobrou, quando eu estava melhor ele disse:

-Eu já estava ficando desesperado, você é tão forte, nunca vi você tão derrubada.

eitaaaaa, rs.

Mas vamos que vamos que só faltam 6 meses.