Aceita um café?

Ahhh se a Dona Florinda soubesse como o bordão dela é usado, rs.

Café, o líquido usado para reuniões informais, reunião formais, pra “respirar” durante o trabalho, para “acordar” durante o expediente.

O caso de amor do café com o mundo provavelmente nunca diminuirá. Famoso por seu sabor apaixonante, a ilustre bebida possui compostos que aliviam a fadiga, aceleram o metabolismo e ainda combatem os radicais livres.

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC), esta é a segunda bebida mais consumida no Brasil, perdendo apenas para água.

Vício para uns, prazer para outros, a verdade é que poucos resistem à um cafezinho. Mas se você é daqueles que toma várias xícaras ao dia, saiba que existe uma quantidade máxima de cafeína que pode ser consumida com segurança. Uma nova revisão de estudos sobre o assunto confirmou que 400 miligramas diários, o correspondente a três xícaras de 150 ml da bebida, é o limite para adultos saudáveis. Para mulheres grávidas, essa quantidade cai para 300 miligramas ao dia.

Segundo a nutricionista Adriana Stavro, apesar de 400 miligramas diários serem considerados seguros para a saúde, não significa que podemos tomar. Nem todos metabolizamos a cafeína da mesma maneira. Para algumas pessoas, uma pequena xícara de café é o suficiente para deixá-las agitados. Ouça o seu corpo, e se ficar inquieto, diminua a quantidade da bebida ou substitua por um chá ou outra bebida sem cafeína

Além do efeito excitante, a bebida também é muito associada à perda de sono. Uma pesquisa feita pela Universidade Wayne State, no estado de Michigan, nos Estados Unidos, constatou que o consumo moderado de cafeína pode sim reduzir o período de sono, por isso evite tomar café após as 17:00h.

Para a nutricionista outro cuidado importante é com pessoas ansiosas. A cafeína é um estimulante do sistema nervoso central. Como consequência, o coração e a respiração aceleram os próprios ritmos e a pressão arterial aumenta. No entanto, tudo isso começa a ser um problema quando há exageros. O excesso de cafeína pode ter efeitos colaterais como: nervosismo, tremores, dor de cabeça, insônia, agitação mental, taquicardia, suor frio e uma sensação de angústia e ansiedade.

Os principais benefícios do café são:
Aumenta a concentração: o consumo do café contribui para melhorar o rendimento cognitivo pela presença da cafeína. Além disso, o café aumenta o estado de atenção aumentas energia e diminui o cansaço.

É fonte de minerais: zinco, potássio e ferro estão presentes no café e são essenciais para o bom funcionamento do organismo.

Acelera o metabolismo: a bebida funciona como um ativador natural, por isso, acelera o metabolismo e a lipólise, contribuindo para a queima de gorduras.

Previne Alzheimer: a cafeína e outros compostos com ação antioxidante exercem papel neuro protetor contra a doença, pois colaboram para reduzir o estresse oxidativo ao neutralizarem a ação dos radicais livres.

Diminui o risco de diabetes mellitus tipo II: alguns estudos apontam que o consumo de café pode ser benéfico na prevenção desta doença, já que a bebida pode aumentar o nível de adiponectina, um hormônio ligado à redução da resistência insulínica.

Previne a bronquite: a cafeína está ligada à teofilina, uma substância que ajuda a relaxar os músculos e auxilia no combate às infecções pulmonares.

Diminui o risco de depressão: Segundo pesquisadores da Harvard School of Public Health, este efeito antidepressivo natural é resultante do estímulo que a cafeína causa no sistema nervoso central, capaz de aumentar a produção dos neurotransmissores cerebrais como a noradrenalina, dopamina e serotonina (hormônios responsáveis pela sensação de bem-estar).

Diminui o risco de doença cardíaca: Uma pesquisa realizada com 140 mil pessoas pela Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard (EUA) mostrou que quatro doses diárias do café diminuem em até 11% o risco de insuficiência cardíaca, que é uma condição em que o coração não consegue bombear o sangue adequadamente para o corpo

A Adriana Stavro Formada em Nutrição pelo Centro Universitário São Camilo. Pós-graduada em Doenças Crônicas não Transmissíveis pelo Hospital Albert Einstein. Pós graduanda em Nutrição Clinica Funcional pela VP consultoria, pós graduanda em Fitoterapia pela Course4U.

Especialidades:
• Saúde, bem estar e emagrecimento;
• Nutrição funcional;
• Doenças Crônicas;
• Regulação do estresse e do sono;
• Nutrição para gestantes;
• Acompanhamento pré e pós cirurgia bariátrica;
• Alergias alimentares;
• Nutrição vegetariana e vegana;
• Nutrição para prática de atividade física;
• Protocolo Detox;

Coronavírus chega ao Brasil, o que fazer?

Coronavírus no Brasil, e agora?!

Até brinquei com a Drª Ana Escobar, que gentilmente nos concedeu uma entrevista via telefone no dia de hoje: 27/02/2020: quando nasce uma mãe, nasce uma doida e quando surge vírus como esse,  ficamos ainda mais endoidecidas rs.

Dentre tantas dúvidas e questionamentos, tentamos passar para vocês calma e informação.
A Drª está disponibilizando um e-book gratuito com diversas informações e dicas.

Para entender um pouco mais sobre:
o Coronavírus é o nome de uma família de vírus que têm formato de coroa. Eles causam infecções respiratórias e já provocaram outras doenças. Ele é conhecido desde 1960, outras doenças provocadas por este tipo de vírus são a Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars) e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (Mers). Além deles, há o Alpha coronavírus 229E e NL63 e o Beta coronavírus OC43 e HKU1. A doença causada pelo novo coronavírus recebeu o nome de Covid-19.
Ele foi descoberto no final de dezembro de 2019, na China. A primeira morte foi registrada no dia 9 de janeiro.

Coronavírus x Rotina Escolar:

E para sabermos como, proteger nossas crianças em fase escolar vamos lá:

O vírus é rapidamente contagioso. Por isso, sem pânico, devemos tomar alguns cuidados.

1. Orientem crianças a lavar as mãos com frequência.

2. Ao tossir e ou espirrar, posicionar o antebraço em frente à boca ou nariz.

3. Se a criança tiver febre NÃO mandar para a escola.

4. As escolas NÃO devem receber crianças com febre e devem orientar os pais.

 

 

 


Drª Ana, e o álcool gel?

Sabemos comprovadamente que ele é eficaz. No entanto, a  água e sabão são super eficazes para matar o vírus e devem ser nossa preferência.

E a máscara Drª Ana, posso mandar meu filho pra escola com ela?

Não há orientação para o uso da máscara. Na verdade, a máscara deve ser usada por quem está com alguma doença, para proteger as pessoas à sua volta.

Coma bem, durma 8 horas à noite e exercite-se. Isso tudo fortalece o sistema imunológico.

Quanto mais forte o sistema imunológico, menos riscos a criança e os adultos têm de contrair qualquer doença.

Um beijo da Drª Ana Escobar, e lembre-se sempre: lavem  as mãos.

Irei deixar as redes sociais da Drª onde são alimentadas sempre com conteúdos informativos:
@draanaescoba

Outubro Rosa – alimentos que previnem o câncer de mama –

Eita que Outubro é o mês mais rosa do calendário, e você sabe porquê?

O movimento popular internacionalmente conhecido como Outubro Rosa é comemorado em todo o mundo. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades. Este movimento começou nos Estados Unidos, onde vários Estados tinham ações isoladas referente ao câncer de mama e ou mamografia no mês de outubro, posteriormente com a aprovação do Congresso Americano o mês de Outubro se tornou o mês nacional (americano) de prevenção do câncer de mama.
A história do Outubro Rosa remonta à última década do século 20, quando o laço cor-de-rosa, foi lançado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure e distribuído aos participantes da primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York, em 1990 e, desde então, promovida anualmente na cidade (www.komen.org). – fonte: outubrorosa.org.br

Movimento realizado mundialmente, o Outubro Rosa visa conscientizar a população sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama,tipo mais comum entre as mulheres, no mundo e no Brasil, depois do de pele não melanoma. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), o câncer de mama responde por quase 30% dos diagnósticos registrados anualmente. O Inca estimou 59.700 novos casos só para este ano.

O câncer pode ser causado por diversos fatores, seja genético, endócrino ou até comportamental, como explica a nutricionista funcional e oncológica Michelle Mendes, da Aliança Instituto de Oncologia. Ela aponta que um dos agravantes da doença é a má alimentação, que ocasiona muitas vezes, o sobrepeso e a obesidade.

De acordo com a especialista além de contribuir para a manutenção do peso e a prevenção da doença, alimentos naturais como frutas e verduras possuem fibras, vitaminas, minerais e diversos fitoquímicos que podem atuar no combate aos radicais livres, protegendo o DNA. “É importante fazer a ingestão destes alimentos diariamente”, ressalta.

Já o consumo regular de alimentos gordurosos, salgados e enlatados pode favorecer o aparecimento da doença. Michelle aconselha evitar frituras, carnes com gordura aparente e embutidos, como linguiças, salsichas, salames, presuntos, entre outros.

A nutricionista separou algumas dicas de alimentos que ajudam na prevenção do câncer de mama.

Confira:

  • Frutas vermelhas – como framboesa e amora, contêm antocianinas que retardam o crescimento de células pré-malignas.
  • Romã – contêm ácido elágico, um antioxidante que ajuda a inibir a enzima aromatase, responsável pela produção de estrogênio e fundamental para o surgimento de células cancerígenas.
  • Melancia, Morango e Tomate – são frutas ricas em licopeno que protege as células do nosso organismo contra os radicais livres, além de ser também responsável por estimular o sistema imunológico.
  • Uva – rica em flavonoides que podem retardar o crescimento de células malignas no organismo.
  • Cenoura – rica em carotenoides, que atuam no combate aos radicais livres. Acerola, abóbora e manga são outras boas fontes desse nutriente.
  • Brócolis – contém sulforafano, molécula capaz de aumentar o número de enzimas protetoras presentes no tecido mamário.
  • Soja – Rica em fitoestrógenos que atuam como protetores contra o câncer de mama.
  • Ervas e especiarias como pimenta preta, curry, salsa, manjericão, orégano e açafrão são ricos em antioxidantes que possuem ação anti-inflamatória auxiliando na prevenção do câncer de mama.
  • Chá-verde – contém antioxidantes chamados catequinas, que podem ajudar a prevenir o câncer.
  • Linhaça – É fonte de lignana, um fitoestrógeno de ação relacionada à prevenção de câncer de mama.
  • Cogumelos – Contém antioxidantes que auxiliam na prevenção da doença.
  • Azeite de oliva, abacate e castanhas são gorduras boas com propriedades anticancerígenas.
  • farinha branca, o arroz branco e o açúcar são gatilhos para mudanças hormonais que podem provocar o crescimento de células cancerígenas. Sempre que possível troque esses alimentos por suas versões integrais.