Paraty – onde ir, comer e o que fazer (part. 1).

Paraty – onde ir, comer e o que fazer (part. 1).

Nossa viagem começou no dia 07 com término no dia 11 de janeiro.

Malas prontas! Quando o marido fala: – Leva galocha e capa de chuva.
A previsão do tempo foi de chuva, mas no penúltimo dia: SOL! para a nossa alegria, rs.

Vamos lá, já aproveita pra pegar as dicas e saber algumas curiosidades da cidadezinha colonial histórica e Patrimônio da Unesco que ficou esquecida durante longos anos: Paraty.

A estrada.

Na ida fomos pela estrada de Cunha, ela é considerada a estrada mais ecológica do Brasil, além de passarmos por trechos da estrada Real.
A Estrada que Liga Cunha/SP-Paraty/RJ é linda, porém termos que ter mais cuidado. A estrada que ainda não está pronta é muito estreita e sim, tem carros indo e vindo, já a velocidade é bem lenta por volta de 40 km/h, trata-se de uma Estrada-Parque. Na parte preservada do Parque Nacional da Serra da Bocaina, você encontra: mata virgem, marcos da Estrada Real, cachoeiras, muitas curvas e descidas íngremes.

Nossa hospedagem.

Ficamos no Imperatriz Paraty Hotel fomos sem indicação nenhuma, apenas pelas postagens do perfil deles e confesso que adoramos! Quando ligamos queríamos a suíte com piscina na varanda, mas já estava tudo lotado, rs.
Sobre o Hotel, as estadias está incluso o café da manhã, esse que nós surpreendeu, sendo bem completo e com opções de: omelete, tapioca e misto quentes feito na hora. Lá você também tem a opção de reservar passeios de escuna, lancha e city tour com as cachoeiras.
A cozinha do hotel fica aberta até as 22 horas, você pode solicitar via telefone do seu quarto e ou no bar do hotel que fica localizado na piscina; com opções de: almoço/jantar, porções e hamburguer artesanais e as bebidas: drinks, cervejas, refrigerantes, vinhos, água e sucos.

foto autoral: rafaella ferraz

Sábado 08/01:

CHUVA! rs, mas pra quem tá de férias nada chateia não é?
Nosso passeio com a Escuna Estrela da Manhã era as 10:30 hs, porém era, rs! Como fechamos no hotel, o voucher já estava comigo e esqueci no quarto (já deixem na bolsa de passeio pra não acontecer o mesmo), corremos mas pegamos trânsito, chegamos eram 10:45 consegui entrar em contato e reagendamos pra saída das 11 hs.
Nossas paradas foram: Lagoa Azul, Praia da Lula e Praia Vermelha.
Como as escunas beiram a bahia, mesmo com chuva leve o passeio foi bacana.
A Escuna: os passeios tem em média duração de 5 horas e o valor é de R$ 100 por pessoa, com serviço de bordo (cozinha e bar) servindo porções, almoço e bebidas (drinks, água, sucos, refri e cerveja long neck). Se você não quer ir nadando até as praias eles tem serviço de bote, para registrar momentos a dois ou aproveitar pras fotos ficarem bem lindas tem fotógrafo profissional que faz registro lindos, mas para isso você vai desembolsar em média R$ 100 reais por 10 fotos. O Entreterimento fica por conta da música ao vivo, que custa R$ 10,00 por pessoa e pagamos quando finalizamos a conta, na escuna os pagamentos são feitos em dinheiro, mas quando a escuna aportar você pode pagar por pix ou cartão de débito/ crédito.
É proibido a entrada com bebidas e comidas.

DICA: leve toalha e uma bolsa pequena, nada de exageros hein.

Noite no Centro Histórico:

NADA de salto! Tênis e look leves são a pedida, no meu caso rolaria até galocha rs..
Agora no mês de Janeiro (de 07/01 á 20/02) tá rolando o Festival de Verão e aos fds música ao vivo na tenda armada próxima a Igreja da Matriz.

Durante o Festival de Verão, o Centro Histórico receberá shows de diversos artistas locais, uma ação que tem como principal objetivo valorizar a cultura paratiense, além de mostrar aos turistas aquilo que a cidade produz de melhor. Entre as atrações, estão grupos tradicionais de vários estilos de samba e DJ’s para diversificar a programação.

Artistas locais fizeram a nossa noite mais feliz, ficamos fora da tenda curtindo, cantando e dançando.
Nosso jantar foi na Hamburgueria Van Gogh um lugar super aconchegante, colorido e com música ao vivo pela foto do hamburguer irei te convencer a conhecer, rs.

Domingo 09/01:

Dia de turistar no Centro Histórico, rs.

Os estacionamentos cobram em média de R$20 a R$ 30 reais, mas se você quiser parar na rua tem o encargo do Rotativo que você pode baixar o APP no celular e ou ir nos totens que tem dentro de algumas lojas (1 período = 1hora, sai R$2,15).
Você pode fazer um city tour guiado, ou ir andando e admirando, rs.

Esse casarão verde e amarelo é morada de parte da família Real até hoje.

As ruas e as famosas portas coloridas também são garantia de belas fotos.

FOTO AUTORAL: RAFAELLA FERRAZ

Mas não pense que só as portas são instagramáveis, as poças formadas pela alta da Maré dão fotos lindas.

FOTO AUTORAL: RAFAELLA FERRAZ

Dica: se você tiver iphone experimente fotografar de cabeça pra baixo na função câmera, se você for fotografar assim pelo stories do instagram, lembre-se de virar a foto para não ficar de ponta cabeça.

Nosso almoço foi no Bem Brasil.
Na primeira foto a história da casa e na segunda nosso filé a parmegiana que estava super saboroso.

E ae, ta curtindo as dicas? Em breve a segunda parte.

Leave a Reply

Your email address will not be published.